Por que o Sandman do Netflix não escalou Tom Ellis de Lúcifer como o demônio

Tom Ellis não interpretará Lúcifer em Sadman. Entenda o motivo.

O criador original, Neil Gaiman, revelou por que a adaptação de The Sandman do Netflix não contará com a estrela de Lúcifer Tom Ellis como Lúcifer Morningstar. Idealizada por Gaiman juntamente com Sam Kieth e Mike Dringenberg, a saga foi a publico pela primeira vez em janeiro de 1989. Com 75 edições, acabou sendo concluída em março de 1996. Apesar disso, muitos dos personagens e histórias continuaram em aventuras derivadas diretas. Sobretudo, tendo abandonado seus deveres diabólicos no Inferno por uma nova vida na Terra, Lúcifer era um desses personagens. Seguindo a ideia de Mike Carey, a jornada do anjo caído se passa entre 2000 e 2006. Dessa forma, essa corrida em particular gerou a série Fox virou Netflix de mesmo nome – com a conclusão da 5ª temporada de Lúcifer , Parte 1 lançado em agosto de 2020, e uma sexta temporada já planejada.

Entenda melhor o motivo

Antes de mais nada, O Sandman também tentou chegar às telas em várias ocasiões ao longo dos anos. Com esforços que remontam a 1991, parecia por um tempo que finalmente poderia se concretizar em 2013. Com Joseph Gordon-Levitt definido para produzir, estrelar e possivelmente dirigir, parecia destinado ao grande ecrã. Infelizmente, em 2016, os planos falharam devido a diferenças criativas. Em 2019, porém, a Netflix anunciou que produziria a série. Dessa forma, as filmagens começaram em outubro de 2020, apesar de que o elenco completo da trama só foi divulgado há apenas alguns dias. Em seguida o anúncio do elenco foi bastante elogiado pelo publico. Porem a duvida do por que Christie e não Ellis estaria encarnando Lúcifer, ainda permanece.

Belo e terrível, Lúcifer Morningstar é um antigo anjo e um dos seres mais poderosos da criação. Como governante do Inferno, Lúcifer detém domínio sobre todas as almas que acreditam merecer punição por seus crimes E também sobre todos os muitos anjos caídos e demônios que chamam o inferno de lar. Dito isso, na trama, Lúcifer é interpretado por Gwendoline Christine, reconhecida pelos fãs de  Game of thrones . A atriz é também conhecida pelos fãs de Star Wars por conta do seu papel de Capitão Phasma.

Gwendoline Christine, a nova atriz a viver Lucifer.

As palavras de Gaiman

Postando no Tumblr oficial de Gaiman , um desses fãs optou por perguntar diretamente ao autor aclamado sobre a escolha – especialmente, lembrando a Netflix produziu os dois programas. Assim, O fã, usando o nome de usuário CleverCunningAmbition, também perguntou se o elenco alternativo significava que os dois programas nunca se conectariam. Assim sendo, Gaiman realmente teve tempo para responder. Aqui está tudo o que ele tinha a dizer:

” A teologia e cosmogonia de Lúcifer está muito longe de Sandman. É” inspirada por “Sandman, mas você não pode facilmente adaptar a versão de Lúcifer para voltar a Sandman, se é que você me entende. Parecia mais fácil e divertido ter a versão Sandman de Lúcifer ser, bem, muito mais próxima da versão Sandman de Lúcifer . “ e como fica Tom Ellis?

Por outro lado como fica Tom Ellis?

Lúcifer adaptou a premissa central, que viu Lúcifer se mudar para Los Angeles e abrir um bar. No entanto, desde o início, seguiu uma forma processual. Ao longo das temporadas, ele se abriu para elementos mais serializados e conflitos sobrenaturais. Isso incluiu confrontos com figuras bíblicas como Caim e até mesmo o vilão arcanjo Micheal na 5ª temporada de Lúcifer . Com o fim do episódio recente, até o próprio Deus apareceu. Apesar disso, o elemento processual permaneceu. E, embora Lúcifer abraçou uma mitologia mais ampla e abrangente, inteiramente concebida pelos produtores. Da mesma forma, Tom Ellis tornou o papel completamente seu. Como tal, Gaiman quase certamente está certo sobre as dificuldades de fazer os dois universos se unirem.

O próprio Ellis provavelmente não ficará desapontado. O popular ator recentemente conseguiu reprisar o papel durante o crossover de Arrowverse, Crisis on Infinite Earths . Quando Ellis concordou em fazê-lo, foi com a insistência de que não interferisse ou de forma alguma contradisse os eventos de Lúcifer . Por isso, foi interpretado como sendo uma encarnação anterior, antes de o personagem diabólico conhecer Chloe Decker. Embora o ator esteja aberto a tais represálias e cruzamentos, o foco principal de Ellis continua sendo seu próprio show. Considerando isso, ele sem dúvida concordaria com Gaiman.

Expectativa pelo novo Lúcifer.

Por outro lado, também não há como negar que, apesar de todo o charme de Ellis no papel, Christie está muito mais próximo da aparência da versão em quadrinhos. Além disso, ela é popular por seus próprios méritos, seguindo curvas notáveis ​​em Game of Thrones e muito mais. Christie também seria capaz de emprestar o mesmo tipo de androginia ao papel que Tilda Swinton interpretou popularmente com o anjo Gabriel no filme Constantine de 2005. Muitos provavelmente ficarão desapontados com o potencial de crossover perdido. Ainda assim, entre Lúcifer e The Sandman, haverá pelo menos dois demônios interessantes para desfrutar nos próximos meses.

O encontro ainda pode acontecer

Apesar de pouco provável o crossover não pode ser descartado, pois seria curioso e interessante ter alguma referencia do personagem “original”, que estamos acostumados a assistir na Netflix. A grande questão é que se realmente houver, como esses universos podem se conectar afinal Tom deu um toque único ao personagem demoníaco, e como o próprio Gaiman disse, não é fácil adaptar esse lúcifer ao universo de Sandman. Ainda não foi anunciada pela plataforma a data oficial da estreia de Sadman.

Vale a pena lembrar que isso não é um adeus ao personagem de Ellis. Ele assinou o contrato para a possível sexta temporada da serie Lucifer, que pode estar ganhando vida. Então ainda teremos um dos personagens mais amados outra vez, contudo, por conta de novos projetos, como o próprio Sadman, a sexta temporada pode levar um tempo maior para chegar na plataforma.

Em breve teremos dois atores vivendo o mesmo personagem.